FÉRIAS397 | ESCRITA NÃOCRIATIVA E OUTRAS IDEIAS NÃOCRIATIVAS DE KENNETH GOLDSMITH

ESCRITA NÃOCRIATIVA E OUTRAS IDEIAS NÃOCRIATIVAS DE KENNETH GOLDSMITH
com W. Vector
19 e 20 de fevereiro
qua e qui, 19h às 22h
R$200

Kenneth Goldsmith é uma voz conhecida na poesia norte-americana, dentre as tradições dos EUA e do Canadá. Segundo Marjorie Perloff, há uma modalidade “não-original” de criação poética, o que esta autora chamou de “poética da falta de originalidade”. Goldsmith se insere exatamente neste ramo. Este curto curso pretende apresentar as principais ideias de Goldsmith (a escrita nãocriativa e sua ideia de tradução enquanto dissipação, por exemplo) e tratar dos principais aspectos presentes em sua obra. O curso se destina a artistas que escrevem, que almejem colocar suas ideias em palavras ou que partam da palavra como matéria de sua produção.

19 de fevereiro

pathfinders, founding fathers and mothers of invention: as origens da escrita nãocriativa
comentário acerca do livro de Kenneth Goldsmith e de sua obra
a dialética da cópia: só me interessa o que não é meu
antropofagia: uma exo-ótica pragmática

20 de fevereiro

comentário sobre o livro “o gênio não-original” de marjorie perloff
exemplos diversos de escrita não-criativa
escritos de artista e artistas escritores
poéticas da falta de originalidade e o credo nãocriativo: o futuro da escrita

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

1) “Displacement is the new translation” (disponível em https://rhizome.org/editorial/2014/jun/09/displacement-new-translation/)
2) “O gênio não-original” de Marjorie Perloff
3) “Uncreative writing” de Kenneth Goldsmith
4) O terceiro capítulo da dissertação “O caráter anfíbio do signo poético”
5) Entrevista de Marjorie Perloff com Kenneth Goldsmith (disponível em http://writing.upenn.edu/epc/authors/goldsmith/perloff_interview_port.html)

w.vector é poeta, tradutor, performer e professor, sua atuação artística possui ligações com as artes visuais, a música e o design. já traduziu poetas como Emily Dickinson, Friedrich Hölderlin, Chyio-Ni e Velimir Khlebnikov (este último no prelo, pela editora Syrinx). com Heloísa Prieto, já publicou alguns livros, além de traduções e adaptações (mais de 10.000 livros vendidos e uma indicação ao Jabuti). em sua dissertação de mestrado (2018) traça relações entre as obras de Charles Peirce, Ezra Pound e Julio Plaza. Desde 2008 atua junto ao grupo RIVΞЯΛO design d signagem, equipe de poetas voltados ao campo da performance, da tradução e do design e artes gráficas. acabam de publicar “Diárias” de Jonas Mekas, poemas traduzidos do lituano em parceria com o grupo .txt texto de cinema.