Cineclube397 | Mulher Imagem

Em 1975, Agnès Varda (Bélgica, 1928), cineasta e artista, considerada precursora da Nouvelle Vague, responde a um canal francês de televisão a seguinte pregunta: “o que significa ser uma mulher?”. Varda tomou a ocasião como pretexto para dirigir um curta-metragem e responder a outras questões que tinham a mulher como objeto central: “Todas as mulheres querem ser mães?”; “Como somos mulheres fora da opinião masculina?”; “O que é um corpo de mulher?”.

O Cineclube397, em sua última sessão de 2016, intitulada “Mulher Imagem”, embora não apresente trabalhos de Varda, parte das questões que essa grande artista coloca e que parecem ecoar cada vez mais forte. A identidade sexual e o reconhecimento do corpo, a maternidade, o passar do tempo e a memória ligada à condição feminina, são algumas das preocupações abordadas nos filmes apresentados. Além da afinidade temática, as obras escolhidas também exploram as potencialidades da imagem e da montagem como acontece em Fuses, da artista visual Carolee Schneemann (1939), Daughters of Chaos da cineasta Marjorie Keller (1950 – 1984) ou Removed, da cineasta e artista Naomi Uman. Em The body beautiful, de Ngozi Onwurah (1966), vemos a diretora trazer para cena o poder da alegoria e da fantasia. Já os filmes da Martha Rosler (1943) Semiotics of the kitchen e de Jennifer Reeder (1971) White trash girl. Part 1: The devil inside utilizam com desenvoltura a ironia e a paródia.

Assim, as obras apresentadas recusam-se a serem categorizadas como “visões femininas”. São trabalhos de alta qualidade experimental, independentemente do gênero de suas autoras, mesmo quando o argumento passa por reclamar o lugar que pertence à mulher no mundo. Mulher Imagem é um compilado audiovisual que percorre diversas formas de expressão artística e representação da mulher, pretendendo reativar as questões levantadas por Varda e, sobretudo, as respostas como declarações feministas inseparáveis da criação de peças audiovisuais únicas, experimentais e renovadoras.

Programação – Sinopses

Fuses (Carolee Schneemann, 1965, EUA) 22′
Registro das relações íntimas e o entorno de Schneemann e seu amante, mistura de colagem e sequências pintadas, sob a observação do seu gato Kitch.

Removed (Naomi Uman, 1999, EUA/ México) 7′
Partindo de um filme pornô vintage, Uman tira as figuras femininas do filme usando removedor de esmalte. Desta forma, em vez da mulher, aparece apenas sua silhueta ausente e esvaziada.

Daughters of chaos (Marjorie Keller, 1980, EUA) 20′
Filme experimental que trata de maneira simultânea meninas adolescentes tornando-se mulheres e a mulher adulta olhando para trás, para a infância.

Mother (Candice Breitz, 2005, Alemanha) 13′
Originalmente pensado como vídeo-instalação, Mother coloca em relação a atuação de seis atrizes de Hollywood. Trechos de diferentes filmes em que cada um delas atuou podem ser vistos nessa grande colagem que tem como eixo o tema da maternidade.

The body beautiful (Ngozi Onwurah, 1990, Reino Unido) 20′
A diretora britânica-nigeriana Ngozi Onwurah explora a identidade sexual e racial a partir da sua relação com sua mãe, que sofreu uma mastectomia radical quando jovem.

Semiotics of the kitchen (Martha Rosler, 1975, EUA) 6′
Performance onde Rosler fica em pé, no meio da cozinha, rodeada por diferentes utensílios que descreve em ordem alfabética, numa paródia aos programas de TV de donas de casa nos anos 60.

White trash girl. Part 1: The devil inside (Jennifer Reeder, 1995, EUA) 8′
Primeira parte da trilogia The White Trash Girl! Explora o mito do nascimento da protagonista, como ela chegou a ter super poderes e o que faz para sobreviver no dia a dia.